• Fabiana Francisco

Livros e cafés!

Em uma página, um mundo. Em uma xícara, a força de muitas mãos.



A vida na cidade grande é marcada pela rotina e pelo vai e vem de pedestres e veículos que passam apressados. Uma chuva fina recai sobre a cidade, ainda é muito cedo.


A caminho do trabalho paro numa cafeteria, onde o cheiro inebriante do café inunda minhas narinas e me absorve de maneira tal, que me sinto acolhida pelo lugar decorado com poltronas azul escuro e mesinhas redondas torneadas à mão. Estantes com um diversificado acervo de livros dão um ar vitoriano ao local.


Como de costume peço uma xícara de café expresso. Enquanto degusto a bebida quente, meus olhos fitam a tela fria do aparato tecnológico que me acompanha. Me deparo com a seguinte frase:


"Ler é romper barreiras, quebrar limites, ultrapassar fronteiras, olhar além do que nossos olhos podem enxergar. É sair do lugar comum e aventurar-se por caminhos vários. É olhar através das imagens e captar significados além do que a própria vista possa imaginar" (Inajá Martins de Almeida).

Minha atenção se volta para um senhor, sentado no balcão, que resmunga algo sobre um exemplar e a quantidade de jovens e seus livros que agora fazem da cafeteria um “point”.


A melancolia imposta por dias frios e chuvosos me fazem pensar sobre muitos aspectos do mundo letrado. Repouso minha xícara sobre o pires e fico a refletir sobre aquelas pessoas que nunca souberam o que é ler, que nunca estiveram em contato com o universo literário.


Um sentimento de pesar se abate sobre mim enquanto tomo um gole de café amargo, só de imaginá-los sem poder desfrutar daquele gostinho que sentimos ao ler o WhatsApp daquele “crush”, ou um recadinho rabiscado num pedaço de papel que aquece o nosso coração, ou um livro inteiro que amplia o nosso conhecimento de mundo, nos emociona, nos cativa, nos encanta…


Em tempos em que todo mundo parece ler, há sempre algo que parece ter sido escrito para, sobre ou por mim, como sabiamente pondera Ítala Lima.


Olho ao redor e penso que aliar livros e café é uma combinação perfeita. Uma xícara de café, tal qual qualquer página de um livro, pode reunir culturas, exotismos, histórias, arte, viagens e muita paixão. São os sonhos e pensamentos dos apaixonados por grãos e por letras.


Essa é uma forma de pensar como cada gole dessa bebida tão apreciada por nós brasileiros pode vir recheada de histórias e trabalhos produzidos pelas mãos de outras pessoas.


O mundo do café e o mundo literário podem parecer desconexos e insignificantes aos olhares indiferentes da população em geral, entretanto para os coffers/bookers lovers ler e degustar uma boa xícara de café é um privilégio que remete às elegantes e charmosas cafeterias, que durante séculos reuniam intelectuais construindo uma ponte para a atualidade. Onde encontros eram e continuam sendo marcados, debates e discussões sobre os mais variados temas e assuntos surgiram em ambientes assim, marcando gerações e inspiraram movimentos na literatura, na arte, na política e na sociedade.


Uma cafeteria é um lugar tão mágico quanto as livrarias, que fazem dos livros e dos cafés substâncias eternas.


Respiro fundo, volto o pensamento para aqueles que foram privados da prática da leitura, tomo outro gole de café e penso: “se uma palavra pode mudar tudo, imagina o que um livro poderia fazer”.


Pela vidraça observo a chuva cair sobre a cidade, vou até o balcão, volto meus olhos para o livro que aquele senhor colocou de lado, peço outra xícara de café e inicio a leitura e novamente me perco em devaneios…


Abra um livro, pegue um café e boa viagem!

52 comentários

Posts recentes

Ver tudo