• Fabiana Francisco

Amor (im)perfeito!

"...amores imperfeitos são as flores da estação…" - (Skank)



Deitada no sofá da sala de casa, às três da manhã, sem sono, onde ninguém pode me ver e nem me ouvir. Me encolho sob as cobertas e me envolvo entre as almofadas buscando aconchego para minha alma. Cubro os olhos com as mãos e choro em silêncio. Penso em mim e no quanto me sinto só.


Pergunto-me como seria que alguém reagiria se me visse assim, se pudesse ler meus pensamentos e perceber o quão confusa eu estou, um misto de saudade e ansiedade crescem a cada dia. Memórias de amores perdidos, amores platônicos, amores solitários me visitam, conversas vazias, lembranças de tempos felizes, de outros tempos. Suspiro fundo. Por fim, admito que quero um amor que comporte eu e todo o meu caos ou mesmo a minha confusão.


Um romance daqueles que a gente cresceu vendo nos filmes exibidos na Sessão da Tarde ou nas letras das canções. Não precisa ser maior e nem menor, pois às vezes parece ser grande demais e outras insuficiente.


Daqueles que ainda não encontrei. Há dias em que a esperança se esvai como água por entre os meus dedos e há aqueles dias em que ela renasce com o Sol, iluminando e dissipando tudo, principalmente a tristeza e a solidão.


Sou apenas mais uma pessoa solitária à espera de um amor (im)perfeito que não vá embora na primeira discussão, que entenda que há dias difíceis para quem sofre de ansiedade, que seja paciente, que saiba amar e perdoar na mesma medida.


Necessito de um amor tranquilo. Alguém para me abraçar, assistir filmes e maratonar séries, falar despretensiosamente sobre qualquer tema sem querer ter sempre razão, ou conversar horas a fio e o assunto nunca acabar, planejar viagens ainda que só fiquem nos planos. Contar e escutar atentamente como foi o dia. Ter para quem ligar ao chegar em casa. Fazer cafuné, confortar, envolver sem esperar nada em troca.


Quero partilha, carinho, respeito, cumplicidade. Um amigo para a vida toda. Felicidade que não necessite se autopromover nas redes sociais.


Uma realidade sem filtros ou photoshop, abraços apertados, troca de olhares que dizem mais que palavras. Silêncios que não incomodam e uma rotina que não desgaste, que não nos falte encorajamento para ir além da monotonia.


Eternizar momentos felizes, ver o pôr-do-sol na praia, admirar o céu estrelado, andar de mãos dadas... Descobrir infinitas possibilidades que ainda não foram reveladas, porque saberemos esperar o momento de falar.


Quero ler cada parte do corpo dele em braile. Imaginar o Universo me explicando como o seu sorriso vai me tirar de órbita, como que com apenas um toque ele fará todos os planetas colidirem dentro de mim, como seus braços conseguirão me elevar até as nuvens.


Quero ter alguém para amar, a cada batida do meu coração. Amar com cada molécula, célula ou tecido presente em meu corpo.


Quero alguém com as qualidades que eu admiro e com as imperfeições que eu consiga conviver.


“Que o amor seja um encontro e não uma busca”.

8 comentários

Posts recentes

Ver tudo